terça-feira, 22 de setembro de 2009

Relato

Algumas escolas recebem insumos para melhorar o ensino aprendizagem que é o foco central. A escola desenvolve uma infinidade de ações que esquece de registrar em seus relatos e quando lhes é solicitado não há como comprovar com fatos e dados. O dia dia agitado impede o olhar para retroalimentar e analisar o que foi positivo e negativo. Tudo que é exigido das escolas elas executam. Falta divulgação, registro, qualidade, alguns colegas professores não conseguem ver o planejamento com bons olhos, muitos preferem copiar do outro é mais cômodo para eles. Por isso, as vezes suas vidas tornam-se sem sentido por falta de reflexão, o planejamento não é bicho papão, ele se faz presente em todas ações desenvolver a cultura de projetos e planejamento é essencial para alcançar os objetivos claros. A escola é o lugar que se faz amigos onde ocorre a aprendizagem, os alunos vivenciam diversidades de situações, realizam grandes descobertas quando lhes é dado oportunidade e se não os tem criam. O professor é um ator nota dez. Responsável pela reconstrução de muitas vidas sua cruz é pesada não deve falhar, mas falhamos com pequenas atitudes movidos pela condição de humano e que ninguém é de ferro. Eu professora, realizo o que acredito, me identifico, assumo o perfil se não tiver meu perfil estou fora. Não vale o discurso vale a ação real, faço valer o que prego e nesses 27 anos como ministra da educação detestaria ser cobrada em dizer algo e fazer diferente, teoria e prática devem ser casadas sem divorcio. Quem já teve oportunidade de realizar ou assistir uma culminância de um trabalho na escola? Os alunos fazem descobertas inacreditáveis, partem para apresentação sem recursos adequados apenas com o que tem a seu alcance que não é muito. Como técnica do PDE, me entristecia olhar o plano de algumas escolas apenas com solicitação de recursos e alguns técnicos eliminavam a ação sem dor e piedade. Alí o que estava faltando era esclarecimento do objetivo, desenvolvimento da cultura de planejamento,orientação, justificativa adequada e fiscalização da obtenção do recurso. Imaginem: uma câmera filmadora com orientação do professor numa atividade de sala de aula? Alguns técnicos eliminavam a ação sob justificativa de que não leva a aprendizagem do aluno, haha, colegas pois precisam conhecer o perfil do nosso aluno hoje ver o que acontece de fato na escola e onde falhamos ao impor nossas vontades aos alunos que vivem em outro século com outras idéias saturados de rotina. Alguns professores se questionam: porque há evasão, o que o aluno busca lá fora que não encontra na escola? A escola precisa acordar desse sono e mudar paradigmas ser cauteloso em suas ações. Cuidado com as atitudes, ações, mais vale o que se faz como faz do que o que se diz. Quem é você professor?

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Compartilhando experiências

1999 após a capacitação de professores em tecnologias foi necessário elaborar projeto para utilização do LIED Adotou-se a seguinte metodologia:  Realizar leituras diversas em sala de aula manifestando expressão oral, corporal, escrita, ortografia e morfossintaxe.  Pesquisar a história da sua história, descobrir sua identidade cultural, comparar outras realidades à sua, saber que as pessoas possuem interesses diversificados.  Dialogar com colegas traçando fontes de interesse que justifique finalidades, propostas.  Investigar o conhecimento que tem de si mesmo (valores pessoais, familiares, comunidade).  Realizar seminário ( 24/09/99  Apresentação dos poemas ( “Pra que mentir” e “Dom de iludir” expressão oral e corporal c/ professoras Maria José; Rosangela e Silvana).  Realizar palestras com alunos de 8ª série. Tema: “O Conhecimento Que Têm de Si Mesmo” ( Pátio da escola).  Utilizar diversas dinâmica de grupo “as técnicas dos recursos” “tempestade cerebral” para que os alunos descubram a importância do trabalho de sala de aula / laboratório de informática e saibam valorizar as oportunidades que estão recebendo.  Conduzir os alunos ao laboratório de informática de acordo com horário estabelecido no cronograma para não haver tumulto.  Utilizar os aplicativos word, power point, para montagem de uma obra literária com direito a tarde de autografos ( pátio da escola).  Produção de histórias em quadrinhos usando a criatividade e os seguintes aplicativos: paint, power point  Montar um jornal informativo por bimestre para divulgar atividades da escola.  Realizar seminário com exposição dos trabalhos realizados, relato de experiências (pontos positivos / negativos) De acordo com o cronograma, 2ª e 4ª feiras o horário ficou destinado aos professores e alunos de 1ª a 4ª séries; 3ª e 5ª feiras professores e alunos de 5ª a 8ª séries, 6ª feira pré escola e Educação especial, os professores no turno matutino ocupavam o horário das 11:30 às 12:00 / turno vespertino das 17:00 às 18:00 tempo disponível acordo com a direção da escola para aperfeiçoamento da prática docente “é necessário amolar o facão, facão cego não corta”. Considerando o espaço, tempo, as circunstâncias em que desenrolou-se o curso de capacitação em informática para professor, que para nós não tratou-se de capacitação mas de iniciação pois não tínhamos noções de informática e o tempo foi muito curto para adquirir novos conhecimentos . Acredita-se que a elaboração de um projeto no início do curso é um grande desafio por falta de conhecimentos suficientes e afinidade com a nova ferramenta o que poderá dificultar a qualidade do previsto, mas somos ousadas, inteligentes, capazes de realizar, vamos buscar embasamento teórico para demonstrar na prática a disposição de ir em frente, superar os medos atingir os objetivos propostos Nossos temores são: conduzir os alunos ao laboratório considerando a quantidade de alunos que existe na escola para que todos tenham acesso; falta de um coordenador disponível no laboratório para auxiliar nos trabalhos e pesquisas; o que fazer com o grupo que ficará na sala se o professor deverá acompanhar o grupo que irá para o laboratório? Espera-se que não seja uma mera ilusão mas que essa iniciativa possa fluir continuamente queremos ver para crêr. Na busca de melhoria e qualidade educacional somos verdadeiros artistas, equilibrista para dançar conforme a música. Então vamos ao sucesso!

Inovar é necessário

“ Se nosso ministério é ensinar, então haja dedicação ao ensino” (Romanos 12: v.07 ) Garantir que a escola cumpra o seu papel, criar oportunidades para que as idéias sejam consideradas a partir de múltiplas perspectivas que facilitem aprender, atuar, constituem um desafio que enfrentamos com coragem e determinação partindo de temas emergentes no contexto de interesses dos alunos, propiciar reflexão, atitudes de investigador promovendo desenvolvimento. Melhorar a qualidade de ensino com uso das tecnologias de informática nas escolas públicas. É estar preparada em todos os setores, não basta apenas ter acesso, é necessário inteligência e vontade para fazer acontecer, superar os obstáculos, traçar metas com objetivos claros. Favorecer a qualificação e inclusão social como diretrizes para constituição destes princípios voltados às tecnologias, levando em conta as transformações sociais e culturais que possam ocorrer em cada época. Buscar formas de tornar jovens capazes de se adaptarem às diferentes situações que possivelmente enfrentariam no decorrer de suas vidas. Relacionar de maneira seletiva e crítica o universo de informações que têm acesso a fim de que possam exercer plenamente sua cidadania. Incorporar novos hábitos, comportamentos percepção e demandas advindas de situações problemas que possibilite a reflexão. Nas escolas utilizam-se várias mídias que viabilizam a concretização desses objetivos: Computador, impressora, internet, scaner, papel A4, papel 40k, pincel atômico, giz de cera, livros, revistas, jornal, fita gomada, flip charter, retroprojetor, transparências, cadernos , canetas, microsistem, TV, DVD, alunos professor etc...